<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=488926721270482&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Dicas para decorar
20 de Novembro de 2020.

Estilo minimalista: decore seu apartamento com essa tendência

“Menos é mais”. Esse ditado pode até soar um pouco batido e desgastado, mas é a base do estilo minimalista de decoração. A ideia é apostar em poucos, mas funcionais itens para cada espaço. Atributos como sobriedade, foco e praticidade têm feito, do minimalismo, um padrão cada vez mais buscado, seja para pequenos apartamentos SP (onde o excesso de bugigangas torna o ambiente pesado, poluído e antifuncional) seja para os maiores, onde sua adoção ajuda a criar uma “linha de raciocínio” em relação ao padrão de decoração adotado e a tornar o ambiente mais amplo.

“O princípio básico do estilo minimalista é a busca por um espaço funcional, clean e em tons claros. A ideia é a de desapego: só fica tudo que for funcional”, explica a arquiteta Arícia Alonso.

A composição, segundo ela, é criada a partir de aspectos como formas geométricas e linhas retas, poucos objetos de decoração, cores neutras e tons pastéis, uso de madeira para alguns itens de decoração e de estruturas metálicas.

O minimalismo pode ser adotado tanto em apartamentos mais compactos, como os apartamentos studio, quanto em casas amplas. “O estilo nasce primeiro dentro do próprio morador, pois só é possível viver em um ambiente minimalista se a pessoa adotar esse conceito em todos os sentidos da vida. Não é só não acumular objetos, mas sim entender que o acúmulo deles pode atrapalhar e bloquear a criatividade e a liberdade”, explica Arícia. Da mesma forma que o conceito pode ser adotado independentemente do tamanho do imóvel, é possível incorporar o minimalismo a qualquer cômodo.

Nesse ponto, há requisitos comuns a serem adotados independentemente da área, como explica o arquiteto Eduardo Batistelli, da Batistelli Arquitetura e Design. São eles: (1) adotar pouca mistura de materiais; (2) um único piso para todos os espaços (se isso for possível, sempre visando à praticidade); e (3) uma textura e uma tonalidade únicas (de preferência em branco) para as paredes. Especificamente no caso dos banheiros, o revestimento do piso também pode ser usado para revestir as paredes do box, sendo que a pintura branca com tinta epóxi é a melhor opção.

Batistelli observa que a arquitetura tradicional japonesa e o design de mobiliário dinamarquês são uma espécie de base para esse estilo.

Por fim, valem algumas dicas para adotar o minimalismo como um “estilo de vida”:

Praticidade: os móveis e, mesmo os objetos de decoração adotados, têm de ser, antes de tudo, funcionais. Dependendo da situação, uma única peça pode substituir outros dois ou três objetos.

Nada de excessos: poucos elementos (e úteis, como acabamos de mencionar) são a base do estilo minimalista. Lembre-se de que os espaços vazios podem fazer toda a diferença. A ideia é evitar sobrecarregar os sentidos e (mais uma vez) privilegiar a praticidade.

Arrumação e limpeza: manter os espaços limpos e arrumados é um ponto-chave do minimalismo. É importante que tudo esteja sempre bem arrumado para garantir a sensação de amplitude e conforto que esse conceito propõe.

Desapego: acumulação é, aqui, uma palavra proibida. Se você “deu uma geral” na casa e concluiu que possui quinquilharias demais, esta pode ser a hora de mudar. Vender ou doar aquilo de que não precisa é o primeiro passo para uma decoração (e para uma vida) mais minimalista.