<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=488926721270482&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Onde morar
18 de Julho de 2018.

Vila Leopoldina: descubra um bairro aconchegante e familiar

Conheça a história da região que é uma das que mais se desenvolveu nos últimos anos e é considerada a “Hollywood paulistana”

Para quem mora em São Paulo, parece difícil imaginar que em uma região como a do bairro Vila Leopoldina a água potável só chegou a partir de 1950. No entanto, o bairro viu suas características se transformarem nas últimas décadas e hoje é uma ótima opção para quem quer tranquilidade e qualidade de vida.

No século XIX, a Vila Leopoldina pertencia a um sítio chamado Emboaçava que, posteriormente, foi vendido para padres jesuítas alemães. Eles se encarregaram de iniciar o povoamento do local, que se expandiu em meio a um terreno pantanoso e com muitas chácaras.

O começo de tudo

Toda a área que abriga o bairro Vila Leopoldina pertencia a uma só pessoa: seu proprietário era João Correia da Silva e o local era conhecido como Várzea dos Correias. Foi somente após a aquisição dessa área pelos jesuítas que a povoação começou, mas ainda de forma tímida.

Já no final do século XIX, em 1894, empresários readquiriram essas chácaras dos religiosos e iniciaram um loteamento. A expansão seguiu um ritmo lento até 1926, quando a incorporadora Siciliano & Silva, em parceria com o empresário Antônio Vilares, decidiu lotear outros 500 mil metros quadrados.

Curiosamente, muitos dos primeiros habitantes da região receberam os seus terrenos como prêmios de rifas. A premiação era informada por meio do jornal e os contemplados pegavam a escritura e podiam se estabelecer por ali como bem entendessem.

O início da revolução na Vila Leopoldina

Foi somente na década de 50, época em que a cidade de São Paulo viveu uma fase de grande crescimento, que o bairro Vila Leopoldina começou a ganhar os contornos que tem hoje. A região abrigava nessa época muitas olarias, que aos poucos começaram a ser substituídas por grandes indústrias.

Elas transformaram a vida econômica do bairro nas duas décadas seguintes. A criação do CEAGESP, em 1969, tornou o local ainda mais atrativo. Muitos trabalhadores dessas indústrias começaram a se mudar para perto e com isso a urbanização tomou conta de vez da região.

Depois de quatro décadas de desenvolvimento, as empresas começaram a deixar a região atraídas por incentivos fiscais em outras cidades do estado. Nesse momento, as construtoras viram uma grande oportunidade: a de transformar um bairro industrial, já com toda a infraestrutura disponível, em uma região residencial.

As residências de alto padrão

É assim que chegamos ao que é o bairro Vila Leopoldina hoje. Um ambiente familiar, com muitos bares aconchegantes e próximo às principais vias de São Paulo. A região é considerada bastante cômoda pelos moradores, que desfrutam de parques e ambientes arborizados nas proximidades.

A localização do bairro é, sem dúvida, um dos seus maiores atrativos. Ele está situado no encontro das marginais Pinheiros e Tietê – duas das vias mais importantes da cidade – e nas proximidades da Universidade de São Paulo, uma das maiores e mais relevantes da América Latina.

A ampliação das opções residenciais no bairro trouxe também uma série de novos serviços para a região para atender a essa nova demanda. Escolas, comércios, espaços culturais, shoppings e áreas de lazer cresceram na mesma proporção, tornando o bairro bastante equilibrado nesse sentido.

Antigos galpões que ainda podem ser vistos no bairro foram completamente revitalizados e hoje abrigam várias produtoras de cinema e agências de publicidade e propaganda. Por conta do grande número de estabelecimentos desse segmento, a região foi batizada informalmente de “Hollywood paulistana”.

Infraestrutura completa para viver bem

Hoje, estima-se que a Vila Leopoldina conte com aproximadamente 50 mil moradores. O bairro é atendido por quatro estações da CPTM – Imperatriz Leopoldina, Domingos de Moraes, Ceasa e Villa Lobos-Jaguaré, além de linhas de ônibus que cortam a região em todas as direções.

O bairro é também repleto de bares e restaurantes. São famosos o Nello’s Vila Leopoldina, o Mangiare Gastronomia, o Comedouro e o Boteco Mandinga. Acessível a partir de todas as regiões da cidade, especialmente por conta das marginais Pinheiros e Tietê, a Vila Leopoldina é perfeita para quem usa carro próprio ou transporte público.

O comércio de rua é destaque também nas avenidas Imperatriz Leopoldina e Gastão Vidigal. É ali também que se situa a CEAGESP, a maior central de abastecimento da América Latina. Além da abundância de frutas e legumes frescos na região, no período de inverno ali é promovido um festival de sopas imperdível.

Para quem não abre mão de lazer e entretenimento, as atrações são o Teatro da Universidade de Mogi das Cruzes e a biblioteca e o orquidário Ruth Cardoso, ambos situados no Parque Vila Lobos. Aliás, o parque em si é outro ponto de referência imperdível na região, perfeito para caminhada e para a prática esportiva ao ar livre.

O seu espaço na capital paulista

Aqueles que buscam uma área com oferta maior de imóveis com metragem mais ampla, certamente vão encontrar na Vila Leopoldina uma das alternativas mais atrativas da cidade. Uma parcela considerável dos lançamentos nessa região chega a ter mais de 170 metros quadrados.

O amplo leque de apartamentos na Vila Leopoldina  aliado à infraestrutura completa de serviços e lazer que o bairro oferece fazem dele uma das prioridades para famílias que buscam moradias maiores. Familiar e seguro (o índice de criminalidade é muito baixo), o local é uma aposta perfeita para o seu futuro.

Nova call to action