<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=488926721270482&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Tendências
12 de Agosto de 2020.

Excelente Infraestrutura e mobilidade impulsionam mercado de imóveis na região da Vila Mariana

Combinando modernidade, história e uma excelente oferta de mobilidade e serviços como bares, restaurantes, universidades e hospitais, as vilas Clementino e Mariana estão hoje, não por acaso, entre as regiões mais desejadas para se viver em São Paulo.

Uma pesquisa da Imovelweb publicada pela revista Veja São Paulo em 2017 colocou a região como a quinta mais desejada para se viver na Capital. “Tem ruas inteiras de bares e outras, residenciais de tranquilas, além do Sesc Vila Mariana”, destaca a publicação.

Uma pesquisa do mesmo ano realizada pela plataforma de compra, venda e locação Moving Imóveis e publicada pelo Estadão colocou a área como a segunda mais buscada dentro do site, perdendo apenas para Pinheiros, outro bairro queridinho dos paulistanos. A região é descrita pelo jornal como uma das que “mesclam bem residência, comércio e área de escritório” e que possuem muitas faculdades e um ótimo acesso ao metrô.

 

Qualidade de vida e valorização em alta

Diante de todos esses fatores, Vila Mariana e Vila Clementino possuem um dos melhores IDHs (Índice de Desenvolvimento Humano, que considera dados sobre saúde, educação e renda) da cidade e não por acaso estão entre as áreas procuradas para se viver e se investir. “São bairros consolidados, com uma excelente infraestrutura já implantada e uma localização excepcionalmente estratégica, próxima dos eixos da Paulista, da Faria Lima/JK e do aeroporto de Congonhas”, destaca Fernando Prando, sócio-diretor da BBZ Imóveis.

Não por acaso, o metro quadrado dos apartamentos na Vila Clementino e na Vila Mariana vem registrando uma valorização nos últimos anos e há perspectivas de que, com o bom momento do mercado imobiliário, essa valorização possa continuar.

Tomando como base, por exemplo, o estudo de preços de casas e apartamentos à venda de terceiros em São Paulo do Secovi-SP, os apartamentos à venda na Vila Clementino registraram, entre dezembro de 2018 e dezembro de 2019 (último dado disponível), um aumento de 2,94% nos preços das unidades de três dormitórios  e de 7,32% nas de dois dormitórios. Nos de um dormitório, a variação foi de 7,44% no período. Na Vila Mariana, os avanços foram, respectivamente, de 2,74%, 1,39% e 3,07% para imóveis de um, dois e três dormitórios.

Prando, da BBZ, avalia que é cedo para dizer se, de fato, a alta de preços dos apartamentos em São Paulo irá continuar. Mas ele assegura que, diante de toda a infraestrutura de lazer e mobilidade desses bairros, as vilas Clementino e Mariana são bons investimentos. “A região é um eixo Sul nobre, estratégica. Atende desde estudantes das inúmeras faculdades próximas até executivos que trabalham na Faria Lima, Paulista e JK ou que precisam estar próximos do aeroporto. E esses aspectos positivos não vão deixar de existir”.

 

Polo acadêmico e de saúde

Outro fator responsável pela constante atividade imobiliária na região é a alta demanda por locação gerada pela grande concentração de equipamentos de saúde, como hospitais, consultórios e clínicas médicas, e de ensino superior. Importantes universidades estão instaladas ali e nas adjacências.

Se tomarmos como ponto de partida a Rua Borges Lagoa, uma das principais da região, podemos contabilizar quase 20 hospitais num raio de 2,5 km. E se dobrarmos a distância, passam de 40. Centros tradicionais como Hospital São Paulo, Edmundo Vasconcelos e Graacc, são alguns deles.

Entre as universidades os números são ainda mais expressivos. Junto das renomadas Unifesp, ESPM e Belas Artes, são mais de 110 instituições em um raio de até 5 km. Universitários de todos os cantos do estado e até do País se instalam nas redondezas atraídos pelas vagas nestas escolas de ensino superior.

Todo esse movimento diário, que atrai uma grande população de moradores e flutuantes, tem acelerado o desenvolvimento da Vila Mariana e a busca por novos imóveis, mantendo a demanda por imóveis fixos e temporários cada vez mais aquecida.