<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=488926721270482&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Onde morar
27 de Janeiro de 2021.

Giro gastronômico pela Barra Funda revela diversidade de estilos e sabores

Bairro tão multicultural quanto o vizinho Bom Retiro, a Barra Funda já foi uma região industrial, colonizada por imigrantes italianos. Depois, com a saída das indústrias, assumiu, pouco a pouco, sua vocação residencial, beneficiada pela ótima localização e pela excelente infraestrutura de transportes, abrigando, hoje, uma vida cultural e gastronômica cada vez mais rica.

Um giro pelos restaurantes do bairro pode revelar uma diversidade de sabores e estilos capaz de conquistar os moradores de apartamentos na Zona Oeste e inúmeros públicos, com estabelecimentos que vão de restaurantes tradicionais a casas mais modernas, com cardápios de várias regiões.

Com quase 50 anos, o tradicionalíssimo Bacalhau, Vinho & Cia se destaca, como o nome sugere, pelos pratos de origem portuguesa, sempre muito bem servidos. São 16 receitas de bacalhau, além de outras iguarias da cozinha lusitana, tal como a alheira e as sardinhas.

Outro espaço bastante tradicional da região é o Ponto Chic. Embora a unidade original, com quase 100 anos, seja a do Largo do Paissandu, a do Largo Padre Péricles na Barra Funda, já tem mais de 40 anos. O carro-chefe, claro, é o famoso sanduíche Bauru, marca registrada da casa. Destaque, também, para o Rococó e para a Fritada ao Ponto Chic, com ovos e queijo prato.

Avançando para a região mais próxima do centro, o badalado Komah, capitaneado pelo chef Paulo Shin, é uma verdadeira joia da Barra Funda. A casa, de origem coreana, já foi eleita duas vezes o melhor restaurante de origem asiática de São Paulo, unindo o estilo tradicional coreano com tendências mais contemporâneas com influências da gastronomia novaiorquina. Não por acaso, Shin, filho de coreanos nascido no Brasil, tem passagens por restaurantes de Nova York, além de estabelecimentos de destaque em São Paulo, como o premiadíssimo D.O.M..

Para os moradores de apartamentos em São Paulo amantes de carnes, o destaque é o uruguaio El Tranvia, especializado em pratos como o bife de chorizo e o ancho. Mas as opções vão além das carnes bovinas, com cordeiros que também são a marca registrada da culinária do país vizinho, frangos e sobremesas que levam o famoso doce de leite uruguaio.

Outra joia da região leva a marca da culinária brasileira. Localizado na rua Dona Elisa, o A Baianeira possui a certificação Bib Gourmand (ótima relação custo-qualidade) do prestigiado Guia Michelin e oferece uma gastronomia inspirada no norte de Minas e sul da Bahia. Da cozinha da chef Manuelle Ferraz saem iguarias como a galinhada com quiabo e brócolis e folhas e o baião de dois sirizado – uma original mistura de baião de dois com moqueca de siri.

Voltando à culinária latina, outro restaurante que merece uma visita é o peruano Quinoa. Localizada tecnicamente no Bom Retiro, mas a poucos quarteirões da Barra Funda, a casa tem como carro-chefe (como seria de se esperar) os ceviches, clássico, limenho e aromático e em uma série de outras apresentações. Mas o Quinoa oferece, também, pratos da culinária “criolla”, do interior do país andino, com destaques para o arroz de chaufa, flambado, com carne, frango ou frutos do mar. Para beber, uma cerveja Cusqueña ou a original e refrescante limonada da casa, com acompanhamentos que vão de hortelã a melancia, carambola e até camomila. 

E assim, com os mais diversos estilos e culinárias, o mosaico gastronômico da Barra Funda vai se renovando e ganhando novas “peças” sem, felizmente, abrir mão dos restaurantes que fizeram e fazem a história desse bairro.