<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=488926721270482&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Dicas para decorar
21 de Setembro de 2021.

Elementos naturais, integração dos espaços e conectividade: as tendências de decoração para 2022

O ano de 2022 promete ser de reabertura e de retomada. De retomada do contato social — ainda se observando, claro, uma série de cuidados —, das atividades ao ar livre e, em alguma medida, do trabalho presencial — na verdade, em um modelo mais híbrido, mesclando a presença na empresa com o home-office. Todas essas mudanças, claro, devem se refletir nas tendências arquitetônicas e de decoração para o ano que vem aí. Um ano para celebrar a vida fora de casa, sem abrir mão da descoberta do conforto do lar.

Confira, a seguir, o que ganha espaço entre as novas tendências:

Espaços integrados

Uma verdadeira conquista dos tempos de isolamento social e de valorização dos espaços, a integração das áreas dá ao ambiente uma maior amplitude, permitindo uma utilização mais racional, por exemplo, das varandas — sobretudo em apartamentos mais compactos, com os apartamentos studio, como já mostramos neste post. A integração pode ser feita com algumas mudanças simples, como a retirada de portas de correr que funcionam como divisão das áreas.

Conectividade

Para além das assistentes virtuais (como a Alexa, da Amazon, e o Google Home), há uma série de possibilidades de automação. Por exemplo, a de acionar remotamente e de forma programada pontos de luz, TVs, sistemas de som e até mesmo a fechaduras. Nos últimos anos, os custos desse tipo de instalação caíram substancialmente. Além disso, muitos dos dispositivos possuem sistemas “plug and play”, de modo que não há necessidade de reformas ou alterações arquitetônicas, como já mostramos aqui.

Praticidade

A valorização do lar como “espaço de fruição”, uma tendência do período de pandemia, veio para ficar. E a praticidade forma, juntamente, com o conforto, o binômio da próxima temporada. Móveis e objetos de decoração estilosos e, ao mesmo tempo, adaptáveis, dão o tom, na forma, por exemplo, de cadeiras e mesas “coringa”, que possam acomodar o trabalho em home office e também ser usadas para outras aplicações.

Elementos da natureza

Outra tendência do período de pandemia que veio para ficar. O relatório O Futuro do Mercado Imobiliário Após a Pandemia, publicado pela Abrainc – Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias –, destaca uma maior valorização das áreas verdes e do paisagismo nos lares. Essa questão inclui não apenas plantas, em si, mas também outros elementos que remetam à natureza, como palha, madeira e pedras naturais. Ainda na mesma linha, ganham espaço as áreas abertas (com maior incidência de luz solar), como as varandas gourmet nos apartamentos SP.

Boho

Termo derivado de “bohemian”, palavra em inglês que remete a uma vida, de fato, boêmia, despreocupada, mas, ao mesmo tempo, cheia de personalidade. Em termos práticos, esse estilo se traduz na combinação de elementos de diversos estilos, como hippie, oriental e outros. A ideia é, sobretudo, “brincar” com cores e texturas, criando um ambiente aconchegante e cheio de personalidade.

O ano promete ser de renovação. E a decoração e a arquitetura tendem a refletir esse espírito, contribuindo, de alguma maneira, para dar um novo ânimo à vida.